.

sábado, 25 de julho de 2020

DA SÉRIE PARANOIAS PANDÊMICAS - 1





De que adianta divulgar a verdade, nua e crua, para o mundo todo? Só iria causar pânico. Surtos de desespero coletivo. Saques e suicídios em massa. Síncopes cardíacas fulminantes e derrames derramadíssimos.


Senhores, o vírus não está tão somente no espirro, na tosse, nas maçanetas, nos corrimões, nas botoeiras de elevador, nas válvulas hidra de mictórios públicos ou nos bicos das gaitas de fole. Isso aí é conversinha mole pra boi europeu, americano, asiático, africano e neozelandês dormir. Está é no ar mesmo, a uma nano-distância de nossas fuças. Não nos iludamos.


Mas também não é o caso de abandonar este texto, em desabalada carreira, para cortar os pulsos.


Abdo Zalamnej Al Faiath, primogênito de um dos mais afamados confeccionadores de ternos prêt-à-porter do Cairo e descendente de nobre linhagem árabe, é guia turístico de um destes sightseeings mequetrefes pelas pirâmides de Gizé. Estava ele no sábado último, a digerir os quatorze pães ázimos com homus tahine que tinha mandado para o bucho, puxando uma palha entre uma leva de pacotes turísticos cancelados e outra, quando esbarrou, ao espreguiçar-se, em um pergaminho enterrado nas escaldantes areias egípcias.


"Vocês, do vigésimo primeiro século AD, ouçam o conselho: uma puxada de ar mais forte e pronto - já elvis, como diria o mongoloide Gengis Khan. Evitemos maiores delongas e considerações, vocês sabem bem do que estou falando. Na qualidade de profeta, posso adivinhar perfeitamente a época em que este pergaminho será encontrado e o drama que a humanidade estará vivendo.


A redenção não virá de vacina alguma, seja ela da China, do Reino Unido ou do Butantã. Nem tampouco da imunidade de rebanho ou do isolamento (vertical, horizontal, de esguelha e de viés), muito menos de benzimentos, simpatias, ebós de encruzilhada, vermífugos e garrafadas de mercadão. Virá, isto sim, de algo que daqui eu por enquanto não adivinho, mas que torço para que vocês, aí, não demorem a saber."






Esta é uma obra de ficção.
© Direitos Reservados



sábado, 18 de julho de 2020

LIVRO DO ANO






Se você tem menos de 50, aceite meu conselho: escolha outro texto para ler, não se prenda por aqui. Mesmo porque não irá entender patavina. Sendo que "patavina", provavelmente, você também não sabe o que é...


Barsa, a versão tupiniquim da tradicionalíssima Encyclopaedia Britannica, era o copy/paste da galerinha fã do Vigilante Rodoviário. Os 18 volumes vermelhos enfileirados na estante eram tão manjados nas salas de visita da classe média dos anos 60 quanto os buffets com pés de palito, os puffs e os pianos.


A primeira edição brasileira saiu em 1964, e esgotou em 8 meses. Era a redenção da molecada nos trabalhos escolares, dispensando os estudantes mais abastados da ida à biblioteca pública.


Aí o tempo passou, a internet tomou conta e, na virada do milênio, escorraçou de vez a enciclopédia do living, certo?


Coisíssima nenhuma. Acredite ou não, a Barsa brasileira - em papel!!!! - continua firme e forte no mercado, a despeito da versão online já disponível há bastante tempo (custa hoje em torno de R$300 e o acesso é livre por um ano).


Com Google, Wikipedia, portais de conteúdos segmentados e um basculante de informação nova despejada na rede a cada segundo, a tonelada escarlate resiste bravamente. Há quem curta a elegância das lombadas, o manuseio sem pressa, o cheiro das páginas.


Até aí, nada de mais. O problema é que qualquer enciclopédia já começa a caducar antes mesmo de acabar de ser impressa. Daí terem inventado o chamado "Livro do Ano", que é um baita de um catatau reunindo o que aconteceu de novo no ano seguinte à compra da enciclopédia. A intenção era complementar a obra com o passar do tempo, e unir ao útil o agradável de vender um livro a mais, todos os anos, ao feliz proprietário - que ficava refém vitalício das atualizações. Lembro que meus pais chegaram a comprar pelo menos uns 20.


Agora, imagine só: bastam 18 anos para que a fileira dos filhotes escorados à mãe-Barsa passe a ser maior que ela. Se os livros do ano continuam sendo publicados até hoje - e esta informação eu não tenho - já terão sido impressos até o momento 55 apêndices. Literalmente, uma emenda bem maior que o soneto!


Caso venha a ser editado, o livro do ano de 2020 deverá ter pelo menos um metro de lombada, para dar conta de registrar a merda toda causada pela pandemia. Mas pode ser, por outro lado, mais fino do que um gibi. Já que, na prática, ele não aconteceu.






Esta é uma obra de ficção.
© Direitos Reservados



domingo, 12 de julho de 2020

LENNON E PELÉ - A QUASE PARCERIA


A Nova York de 1971 testemunhou um encontro insólito: John Lennon e Pelé, juntos fazendo um coffee-break entre uma aula e outra de uma escola de línguas. Pelé aprendia Inglês. John, Japonês. Lennon, inclusive, disse a Pelé que os Beatles tentaram conhecê-lo e tocar uma música para ele, na Copa de 66 da Inglaterra, quando a Seleção Brasileira estava hospedada em Liverpool. Foram barrados, porém, pela equipe técnica - um tal de Carlos Freitas, então assessor de imprensa da delegação, alegou que não queria quebrar a concentração dos jogadores.


- John Lennon! Rapaz, quando é que eu ia imaginar que iria topar com você numa cozinha!


- Uau, Pelé, não acredito... é você mesmo! Nós éramos, os quatro, loucos por você, cara.


- Olha, Johnzinho, aproveitando que um craque que nem você tá aqui na área, deixa eu te mostrar uma música da minha autoria. Queria a sua opinião. Sinceridade, heim?


- Come on, man! One, two, three, four!!!


- Sem violão é meio difícil, mas vamos ver se sai alguma coisa a capella mesmo.


- Vai lá.




"ABC, ABC
Toda criança tem que ler e escrever
ABC, ABC
(bis)
Torda criança tem que ler e escrever"




- E aí? Tem futuro?


- Então... bacana, Ed. Legalzinha. Eu faria alguns reparos, acho que falta um toque, sei lá. Mas...


- Olha, John, eu daria autorização para você gravar essa música, viu. A gente podia fazer um compacto simples, entende? De um lado o "ABC" e do outro o "Give Peace a Chance", ou essa outra baladinha que você gravou agora, "Imagine", né? Então, o que acha?


- Ah, tá. Vamos sim.


- Porque aí fica completa a mensagem do disco, a sua música pedindo a paz e a minha o investimento na educação das crianças. Um lançamento mundial, uma parceria Lennon & Arantes. Ia ser um sucesso! Acho que o Paul não ia ficar com ciúme não, né?


- Imagina, o conjunto acabou o ano passado. Posso levar a Yoko na gravação?






Esta é uma obra de ficção.
© Direitos Reservados



quarta-feira, 8 de julho de 2020

BAIXE O APLICATIVO VIDA





Instruções para recepção e manutenção de novos seres humanos
. Tão logo seja concluído o home-birth e checados os sinais vitais, aproxime o microfone do celular da boca da criança, para detecção remota de possíveis anomalias congênitas, por análise da intensidade e frequência das ondas sonoras do choro.
. Teste do pezinho por leitor biométrico de uso residencial, com resultado instantâneo transmitido em tempo real para pediatra na página "Hello, my first Doctor".
. Leitura diária do QR Code que aparecerá no canto inferior esquerdo da tela do notebook materno, a fim de prover o fornecimento doméstico de tudo quanto a criança venha a necessitar, no período compreendido do primeiro dia de vida ao ingresso na pré-escola.
. Matrícula do cidadão, via preenchimento de formulário eletrônico, nos diferentes ciclos de Educação a Distância - Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Formação Superior e Pós-Graduação.
. Mensalidades pagas por escaneamento do código de barras, em pdf enviado aos responsáveis pela web, com pelo menos cinco dias de antecedência à data de vencimento.
. Aulas online contarão, em contraperíodo, com cyberplantão de dúvidas.
. Certificado de conclusão de curso emitido por aplicativo específico, em formato digital. Como não há obrigatoriedade de que este seja impresso para afixação em parede da casa, solicitamos a compreensão dos formandos para que colaborem com a preservação ambiental, evitando prints inúteis.
. Modalidades presenciais de transmissão do conhecimento somente serão permitidas em casos excepcionais, com justificativas submetidas à análise das autoridades competentes. Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado serão também ministrados exclusivamente a distância.
. Cyber interview com Central Nacional de RH para envio de curriculum e encaminhamento às unidades provedoras de primeiro emprego.
. Agenda individualizada para monitoramento das etapas Júnior, Pleno e Senior na carreira profissional abraçada.
. Se detectada vista cansada, por análise de iris e retina, o ser humano deverá escolher armação na loja virtual de sua preferência, aproximando os olhos da webcam para determinar os graus das lentes.
. De alimento a remédios, de eletrodomésticos a bonecas infláveis, todos os produtos e serviços imagináveis serão entregues em sistema delivery, sendo as transações de pagamento e recebimento efetuados por transferência de titularidade. O uso de papel moeda será permitido em circunstâncias de extrema excepcionalidade.
. Com o objetivo de racionar a utilização de banda larga, estimamos o total médio previsto de 4.577 conference calls na vida produtiva do indivíduo. Caso este número seja ultrapassado, o contribuinte deverá apresentar-se à jurisdição de comunicação de sua cidade para justificar-se.
. Concluído o período minino de 35 anos de teletrabalho home-office, preenchidos os requisitos regulamentares de recolhimento mensal nos sites do INSS, Receita Federal, e apresentadas as NFEs emitidas em aplicativo da secretaria de finanças da prefeitura, o ser humano poderá requerer aposentadoria.
. Como o nome diz, aposentar-se pressupõe permanência em aposento. Por lei, o acesso a ambientes externos é terminantemente negado, a exemplo de todas as demais fases da vida.
. Velório virtual.
. Página in memorian no facebook.
. Recebimento de orações somente inbox, caso sejam remetidas por familiares e amigos.




Esta é uma obra de ficção.
© Direitos Reservados



domingo, 28 de junho de 2020





- Moço, eu recebi esta intimação da prefeitura em casa. Não entendi nada, não tenho a menor ideia do que se trata.
- Ah, isso aqui é um laudo aerofotogramétrico.
- Como é?
- Aerofotogrametria. A prefeitura contrata uma empresa que tira fotos aéreas das casas, pra descobrir quem faz piscina, puxadinho, churrasqueira, forno de pizza, banheiro de empregada... O problema é que o pessoal constrói essas coisas depois que o imóvel está pronto, sem pedir alvará da Secretaria de Obras. Pra escapar da averbação no registro de imóveis e do aumento do IPTU, sabe?
- Sei. São uns aviões que ficam sobrevoando a cidade, né?
- Agora é drone. Avião estava saindo muito caro.
- Tá certo, mas aqui no laudo a área apontada como irregular é a casinha do Apolo, o meu rottweiler.
- E o senhor tá reclamando do quê?
- Do quê? Meu camarada, isso aqui é uma casinha de pet Made in China, feita de plástico vagabundo e cheia de rebarba.
- Se você prestar atenção no que diz a lei municipal, verá que ela não especifica se o morador é gente, cachorro, bode, ornitorrinco ou capivara. Para efeito de tributação, basta que exista uma área coberta.
- Mas eu não construí a casinha do cachorro. Não se trata de construção, compreende?
- A prefeitura não quer saber se você fez ou comprou pronta. Se tem área coberta e está em cima de um terreno que existe e está regularizado, o imposto é obrigatório. Não adianta espernear, não. A administração municipal não tem culpa se as pessoas hoje tratam cachorro como filho.
- Tá, tudo bem. Só que eu comprei essa casinha no pet shop há uns 8 anos, o cachorro usou só umas duas semanas e depois passou a dormir dentro de casa. A gente ficou com dó do bichinho, compreende? Para você ter uma ideia, ele até dorme na nossa cama.
- Então devia ter jogado a casinha fora ou recolhido dentro da sua residência, fora do alcance do drone.
- E como eu iria arrumar espaço para acomodar um trambolho que nem aquele no meio da minha sala? Deixei lá fora, óbvio.
- Veja bem, tem mais uma coisa. Isso aí que o senhor falou, que tem a casinha há 8 anos, significa que está sujeito ao recolhimento de 8 exercícios de IPTU acumulados, com cobrança retroativa. Vamos emitir os carnês não enviados e também a multa com juros e tudo, pois o senhor ocultou a propriedade esse tempo todo e nem entrou com pedido de Habite-se.
- Habite-se pra cachorro?
- Ué, cachorro tem que habitar em algum lugar, né?
- É o fim do mundo...
- Mais uma coisa, ô contribuinte. O fato de acolher o dog como morador implica em outra contravenção. O Setor de Zoonoses não permite que cães e gatos coabitem com os munícipes, devido ao risco de transmissão de doenças. Pode esperar que daqui a pouco também vem chumbo grosso da Secretaria de Saúde.




Esta é uma obra de ficção.
© Direitos Reservados



sábado, 20 de junho de 2020

BUSCA E APREENSÃO





De repente invadem sua casa, com violência e um reles mandado nas mãos, e de maneira arbitrária devassam sua intimidade e seu sigilo. Mas não tarda a vingança do invadido, pois acabam não encontrando nenhum dado comprometedor. Pelo menos nos computadores daqueles que nada têm a temer.
Eu, Senador Jocasto Bonaventura, fui vítima da chamada "Operação Já Elvis", espetaculosa empreitada levada a cabo pela Polícia Federal. Ao contrário do ocorrido recentemente em Atibaia, na investida onde pululam como Gremlins os indícios de irregularidades cometidas pelo famoso Quiroz, no meu caso não acharam nada que pudesse manchar minha biografia como cidadão e como parlamentar.
Segue laudo da própria Polícia Federal, a que tive acesso, onde se relata o que efetivamente descobriram na varredura de meus dispositivos informáticos.


BUSCA
Encontrada pasta de arquivo com matéria extraída da internet, denominada “Laranja”, contendo o seguinte documento com extensão .html:
Laranja, fonte de vida e saúde
Além da famosa vitamina C, a laranja também oferece ácido fólico, cálcio, potássio, magnésio, fósforo e ferro. Contém fibras, pectina e flavonóides, que aumentam seu valor nutritivo. O principal benefício da laranja são suas propriedades antioxidantes.




Encontrada pasta de arquivo denominada "Receita", contendo o seguinte documento com extensão .docx:
Pão-de-ló da Vó Cidinha
Ingredientes:
5 ovos
2 xícaras de açúcar
3 xícaras de farinha de trigo sem fermento
1 colher de essência
1 colher de fermento
1 xícara de leite morno


Modo de Preparo:
Em um recipiente, coloque os ovos e bata com uma batedeira até começar a ganhar volume. Adicione o açúcar aos poucos, sem parar de bater até que a mistura se torne bem leve e esbranquiçada, dobrando o volume. Acrescente toda a farinha de trigo peneirando sempre. Em seguida adicione o leite morno (importante estar morno), volte a bater até que a massa fique bem homogênea e lisinha. Para finalizar junte a essência de baunilha, o fermento em pó e incorpore levemente. Despeje sua massa em um fôrma untada e polvilhada farinha de trigo e leve para o forno pré-aquecido a 180°C por aproximadamente 55 minutos.




Encontrada pasta de arquivo denominada “JBS”, contendo o seguinte documento escaneado, com extensão .pdf:
Certidão de Nascimento – Jocasto Bonaventura de Souza
(seguem os dados escaneados do registro de nascimento do supracitado)




Encontrada pasta de arquivo denominada "Desvio", contendo o seguinte documento com extensão .txt:
Desvio do Septo Nasal. Afinal, o que é isso?
O desvio do septo nasal ocorre quando o septo não está devidamente centrado no nariz. O sintoma principal é a obstrução e congestão nasal, em consequência do desalinhamento existente que provoca uma diminuição do espaço dentro do nariz para a passagem de ar. Ou seja, a normal entrada de ar pelo nariz é dificultada pelo fato do septo nasal estar descentralizado.










Encontrada pasta de arquivo denominada "Santinho - Campanha", contendo o seguinte documento com extensão .pdf:
Temos no Brasil um forte candidato a Santo. Trata-se de um menino, oriundo da capital do estado de São Paulo. Antonio da Rocha Marmo, conhecido popularmente como Antoninho, nasceu no bairro de Santa Cecília, região central de São Paulo Capital, em 1918, e morreu aos 12 anos, de tuberculose. Seu túmulo, no cemitério da Consolação, atrai os fiéis. O processo de beatificação foi acolhido pelo Vaticano em 2008. Um site foi criado para defender a causa do "menino dos milagres" e promover a campanha para conceder o título de Beato a Antonio da Rocha Marmo.




Encontrada pasta de arquivo denominada “Compra_devotos”, contendo documento com extensão .xlx. A planilha expõe detalhadamente os faturamentos bruto e líquido das lojas do Shopping de Aparecida do Norte, em compras efetuadas no período de 04/20 a 06/20.




APREENSÃO
Nós, agentes da Polícia Federal e responsáveis pela “Operação Já Elvis”, estamos apreensivos quanto ao rumo das investigações daqui para frente, diante da flagrante inocência do material encontrado e da nossa consequente desmoralização com o ocorrido perante a opinião pública.






Esta é uma obra de ficção.
© Direitos Reservados



domingo, 7 de junho de 2020

LOURENÇO GAIVOTA, MEU PACIENTE




I
- Dona Veridiana, tem certeza que o próximo paciente é mesmo o Lourenço Gaivota, o autor do livro "A Mágica Secreta"?
- Claro, ele acabou de preencher a ficha aqui comigo. E eu conheço o rosto dele, né? Tá todo dia aparecendo na televisão... Olha, eu estou falando com o senhor baixinho porque ele está aqui bem perto de mim. Pagou consulta particular, eu disse que só tinha encaixe e ele falou que tudo bem. Chegou aqui esbaforido, tá todo trêmulo.
- Nossa, surreal isso... eu arrumando um encaixe no meu reles consultório para o Lourenço Gaivota. Se contar ninguém acredita. 
- Posso mandar entrar?
- Deve. Mas espera um pouquinho aí, só o tempo de dar uma ajeitadinha básica no divã. É o Lourenço Gaivota, né? Deixa eu caprichar.




II
- É tudo da boca pra fora, só retórica e invencionice. E marketing, doses rinocerônticas de marketing. Eu falo para meus leitores as coisas que eu gostaria de escutar de alguém, compreende? Sou tão humano, fraco, carente e falível quanto qualquer outro filho de Deus.
- Meu mundo caiu! Para com isso, você tá de brincadeira. Você influencia meio mundo com seus cursos e palestras! Se você não é "o cara", ninguém mais é!!!
- Oi?
- Gaivota, tá vendo aquela pilha de livros ali ao lado do abajour? Você é o autor de todos eles. Eu ficava na fila da extinta Livraria Siciliano pra pegar os exemplares saídos do forno, não via a hora de devorar tudo o que você escrevia. Perdi a conta das noites de autógrafo, com filas dobrando o quarteirão, você ia assinando os livros sem nem olhar pra cara de ninguém.
- Nem pra sua, com certeza.
- Nem pra minha. Mas não estou me queixando, não. Eu sou um psicanalista como outro qualquer. Imagina que o guru do Roberto Shinyashiki e do Lair Ribeiro ia lá saber da minha existência. Mas vai em frente, continua.
- Então, tudo ia bem até um tempinho atrás, mas agora esse conflito, de ter inventado uma persona que eu não sou, não está me deixando mais nem sair de casa. Nem escovar os dentes. Nem olhar pra minha cara no espelho. Nem respirar direito. Nem...
- Calma, Lourenço. Aceita um chá de maracujá com antúrio?
- Imagina, não tomo essa merda nem sob tortura.
- Mas você aconselha este chá várias vezes ao dia nos seus livros...
- Procure escolher melhor as pessoas a quem você dá ouvidos, meu caro.
- Pois saiba, senhor Lourenço Gaivota, que pra mim funciona, tem profundos efeitos terapêuticos.
- Bom, se pra você funcionou... sorte sua. Atribua isso a um efeito placebo.
- Não é possível, isso não está aconteendo. O Lourenço Gaivota em pessoa tentando me convencer que Lourenço Gaivota, ou seja, ele próprio, é um farsante.
- Tudo o que eu fiz até agora é autoajuda barata, com fundamento científico zero. Digo mais, heim. E essa vai doer: a minha editora mantinha sob contrato pelo menos uns quatro ou cinco ghost-writers pra inventar aquela porcariada toda. Eles criavam tudo, faziam os powerpoints para as palestras, as "colinhas" que eu levava para os programas de TV. Você não tem noção do aparato fake a meu serviço.
- Bom, fake por fake, estamos quites.
- Oi?
- Está vendo algum diploma pendurado na parede?





Esta é uma obra de ficção.
© Direitos Reservados